5 dicas para evitar problemas com fixação da cor durante a micropigmentação

A fixação da cor do pigmento é um dos fatores principais da satisfação das clientes. Certamente, a micropigmentação não é um procedimento permanente e desbotar nos primeiros dias é normal. Mas a durabilidade ainda é um indicador da qualidade do serviço.

Para ajudar você, profissional, a aperfeiçoar o seu trabalho e agradar qualquer cliente, separamos algumas dicas para você evitar problemas com a fixação da cor da micropigmentação. Confira abaixo!

Como melhorar a fixação dos pigmentos?

Use equipamentos precisos

A ferramenta de trabalho de um micropigmentador tem influência direta no resultado do procedimento. Ao usar um dermógrafo, ele deve estar devidamente calibrado preferencialmente com uma frequência mais baixa.

Quando o aparelho está com alta vibração, a precisão é sacrificada. A consequência é uma instabilidade que não só dificulta a pigmentação, como agride a pele da cliente mais do que o necessário. Assim, o processo de cicatrização da inflamação será mais complexo e a cor sairá mais do que deveria. Por isso, prefira trabalhar com uma vibração baixa para garantir a uniformidade.

Saiba trabalhar com os ângulos

A forma como o pigmento é inserido na pele da cliente é outro aspecto que pode ajudar na fixação da cor. Enquanto todas as técnicas e ângulos podem ser úteis, é preciso saber quando e como usar cada um.

Ao trabalhar perpendicularmente, o pigmento é implantado mais profundamente, mas costuma ser mais eliminado pela pele. Já ao implantar a 45º, o pigmento não consegue a mesma profundidade e fica mais superficial, mas não sai tanto de imediato. A questão não é certo ou errado, mas saber como aproveitar as vantagens de cada técnica para garantir a durabilidade.

Aprenda com a experiência

A teoria pode ajudar nesta profissão, mas é com a experiência que você saberá qual o melhor método para você. O número de passadas de agulha, por exemplo, é algo que só com a prática você saberá a ideal para inserir o pigmento sem exagerar e irritar a pele.

O trabalho de um micropigmentador também varia de acordo com sua força e a pressão colocada no aparelho. Força demais causa mais inflamação e expulsão da cor, leveza demais coloca os pigmentos nas camadas exteriores da pele, sendo menos duradouro.

Invista em pigmentos de qualidade

A qualidade do pigmento não é só importante para a segurança do procedimento ou para a intensidade da cor. Ela também afeta a fixação da cor na pele. Pigmentos com qualidade inferior podem até funcionar, mas não possuem a regularidade necessária nesta área.

Por isso, invista em produtos que respeitem os padrões de qualidade e tenham cor e viscosidade uniformes para garantir um melhor resultado.

Orientações após o procedimento

Evitar problemas com a fixação da cor é uma tarefa que, tanto a profissional, quanto a cliente devem trabalhar. Enquanto você deve ter os cuidados para implantar o pigmento adequadamente, os cuidados que o cliente tem após o procedimento também importam.

Por isso, sempre oriente eles a evitar expor a área ao sol e hidratar a área para ajudar na cicatrização. Ressalte que é importante não coçar a área e, em vez disso, devem usar compressas geladas para aliviar qualquer irritação. Explique de forma simples, mas didática, e terá mais chances de respeitarem as instruções para o benefício de todos.

Siga essas dicas, use boas ferramentas e aprenda com a experiência e você conseguirá aprimorar suas habilidades e evitar os problemas de fixação de cor durante a micropigmentação. Para usar um pigmento de qualidade invista na linha Prime Color. Acesse o site e conheça as vantagens dos nossos produtos.