Conheça as principais regras da colorimetria aplicada para micropigmentação

A micropigmentação é a implementação de pequenos pigmentos na pele. Esse tipo de tratamento é recomendado para quem tem falhas nas áreas da boca, da sobrancelha e dos olhos.

Com ela, é possível fazer um contorno mais expressivo na boca, desenhar melhor a sobrancelha, iluminar, corrigir falhas usando recursos com cores aplicando pigmento, e deixando um ar natural.

E, a parte que cuida das cores de todos esses recursos é a colorimetria. Continue lendo para saber mais sobre o que é, as regras e mais dicas.

Colorimetria

Para que a técnica de micropigmentação funcione perfeitamente e seja bem aplicada é de extrema importância conhecer a cor e a utilização dela para cada tipo de pele. Ela é um dos elementos mais importantes na imagem. E na pigmentação essa imagem é a do rosto.

Como a pele já é pigmentada com melanina, e não só por ela como por pigmentos naturais conhecidos por carotenos e a própria vascularização, é necessário saber como as cores do pigmento reagem à cor da pele da pessoa.

As regras da colorimetria

A colorimentria é sobre saber a influência das características da cor na micropigmentação. E nas regras da colorimetria, existem algumas áreas como o pigmento, que é o material que confere cor a uma tinta. E na colorimetria, eles são classificados em dois tipos: acromáticos, branco, preto e cinza (os que não têm cor), e os cromáticos.

Dentro dos cromáticos existem três subcategorias: primários, que são pigmentos puros (azul, vermelho e amarelo). Secundários, que são a mistura de dois pigmentos primários. E os terciários são a adição de um pigmento primário que já exista na composição secundária. Ex: 25% vermelho + 25% amarelo = laranja + 50% de amarelo = amarelo alaranjado.

Já sobre o marrom/castanho, existem inúmeras variações dessa cor, desde os tons quentes, frios, neutros.

Interferência da melanina na colorimetria

A cor de pele não é definida apenas pela melanina, como dito antes, ela tem algumas outras influências, como a vascularização. Em pessoas muito claras, os vasos sanguíneos podem interferir no fundo de cor. Isso dá uma sensação de tom de pele frio. Apesar de não influenciar tanto, pode confundir alguns profissionais.

Mesmo que uma pessoa tenha um subtom frio, em alguma parte do rosto ela vai ter uma área quente. Ao longo dos anos, os nomes foram mudando e agora a melanina é subdividida em: eumelanina, que possui alto peso molecular e destaca-se por apresentar uma cor que varia de marrom ao negro, e a feomelanina por sua vez tem um tipo de coloração vermelha ou amarela. E grande parte dos profissionais acredita que tudo isso tenha grande influência na micropigmentação.