Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Fatos e mitos sobre a micropigmentação labial

O mercado de estética está cada vez mais aberto e atento às possibilidades que a micropigmentação oferece. Os procedimentos, derivados das técnicas de tatuagem, têm conquistado cada vez mais adeptos para pequenas correções, melhora cosmética do resultado de cirurgias e harmonização dos traços do rosto.

Neste último quesito, a micropigmentação labial merece destaque. Com o aumento do anseio por lábios mais voluptuosos e brilhantes (suscitado em grande parte pelo visual exuberante de celebridades como Kylie Jenner e Angelina Jolie), as soluções para a área dos lábios têm ganhado proeminência.

Neste post você vai entender mais sobre a técnica e descobrir mitos e verdades sobre a micropigmentação labial. Confira!

O que é a micropigmentação labial e qual a sua finalidade?

A micropigmentção labial é um procedimento estético que emprega pigmentos semipermanentes para corrigir falhas, melhorar as formas ou adicionar cor aos lábios. Ela é realizada por meio do emprego de aparelhos específicos para micropigmentação, assim como em procedimento similares, como nas sobrancelhas.

Por isso, ela garante grandes ganhos estéticos para quem deseja melhorar os contornos, a tonalidade e a uniformidade dos lábios.

Mitos e verdades sobre a micropigmentação labial

Lábios escuros não podem passar pelo procedimento: mito

É um engano achar que lábios de coloração arroxeada ou escurecida não são candidatos ao procedimento. Para aplicá-lo basta conhecer as técnicas de colorimetria que permitem a neutralização de tons indesejados, permitindo que se chegue ao resultado ideal.

O processo pode ser realizado pelo emprego do dióxido de titânio, que agrega uma base alaranjada. Assim, cria-se uma tela neutra para o trabalho.

Não se pode aumentar o tamanho dos lábios com a micropigmentação labial: verdade

É possível realizar uma ligeira ampliação dos contornos com o procedimento, mas não se deve prometer um resultado de “bocão” apenas com a técnica. Isso porque o aspecto tende a ficar excessivamente artificial, comprometendo a estética do cliente. Para estes casos, é melhor indicar outros procedimentos.

É possível ampliar o volume dos lábios com a micropigmentação: mito

No período de cicatrização, o tecido pode reagir tornando-se ligeiramente inchado e aumentando o volume. Contudo, quando a reação cessar, os lábios voltarão ao volume original.

Dependendo da experiência no manejo das cores, é possível conferir a ilusão ótica de mais volume, mas nunca se deve prometer lábios mais carnudos com a micropigmentação. Para este resultado, indique os preenchimentos.

A micropigmentação dura pra sempre, como uma tatuagem: mito

O pigmento utilizado na micropigmentação labial vai desvanecendo com o tempo. O fato dos lábios estarem em constante movimento e em contato com líquidos e gorduras das comidas e bebidas ainda contribui para a redução da permanência do pigmento.

Geralmente a durabilidade é de até um ano, conforme os cuidados do cliente.

A micropigmentação não substitui a maquiagem: verdade

O processo e os pigmentos foram elaborados para corrigir pequenas falhas e aprimorar o aspecto natural dos lábios. Aplicá-lo em tons de vermelho, púrpura ou rosa forte traria um resultado excessivamente artificial que pode comprometer a estética do cliente.

Após o período de cicatrização, a maquiagem comum pode ser utilizada para efeitos de cores mais marcantes normalmente.